Solicite um teste

Código de conduta de sua empresa, você já o leu?

11 JUL 2018
11 JUL. 2018 / por adminuplexis

“Dispõe sobre a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira, e dá outras providências.” é assim o enunciado da lei nº 12.846/2013, ou mais comumente conhecida, a Lei Anticorrupção.

A finalidade básica desta lei é responsabilizar as organizações por ações tomadas por qualquer um de seus colaboradores.

E em resposta à lei anticorrupção, pôde-se notar o aumento de programas de gestão de risco, compliance e governança corporativa. De acordo com pesquisa realizada pela Deloitte com 103 empresas brasileiras, 37% das respondentes afirma realizar alguma ação de compliance devido a pressão regulatória, enquanto que em 2013 essa taxa era de 12%.

Esta resposta das empresas brasileiras, traz mudanças no mundo corporativo, com mais organizações investindo em treinamento de seus funcionários, na criação dos seus códigos de conduta e em ferramentas que possam trazer segurança no relacionamento com seus stakeholders.

Este movimento de adequação à pressão regulatória revela uma seara pouco explorada de mercado, como a de consultorias, auditorias ou ferramentas que realizem essa ação de forma regular e melhor ainda, independente da interação humana.

80% das empresas pesquisadas pela Deloitte afirma possuir Conselho de Administração, que age com esse caráter independente sobre as ações tomadas pela empresa, funcionando basicamente como uma auditoria externa (95% das empresas escolhe este método para validar suas ações).

Essa escolha de investimento em compliance traz inúmeras implicações para todos os departamentos, uma vez que “agir em compliance” não se resume a criação de um código de conduta, somente. Mas sim na execução de ações que estão em compliance com seu código de conduta.

Como inicio um programa de compliance?

É imprescindível dispor de um código de conduta que será o guia de seus colaboradores. Ele pode ser desenvolvido pelo seu Conselho de  Administração ou por qualquer entidade externa.

O código de conduta deve ser distribuído para todos os colaboradores, inclusive a alta administração, para que haja capacitação de toda equipe e nivelação de informação.

Após o desenvolvimento das “regras”, é necessário aplicar treinamentos para seus colaboradores, uma vez que a mudança de postura exige exercício regular e aprendizados novos.

A ética e transparência trazidos por programas de compliance elevam a segurança na negociação com todos seus stakeholders, o que pode trazer mais segurança de existência da empresa no futuro.

Para os funcionários, é vantajosa a criação de programas de compliance devido a segurança e respaldo trazidos nas decisões tomadas no âmbito organizacional.

E devido ao código de conduta com ações determinadas como corretas ou não, denúncias e queixas são mais facilmente relatadas, uma vez que irregularidades não são toleradas.

A criação de um programa de compliance revela a postura ética de empresa e adequação da sua empresa no novo perfil valorizado por colaboradores e empresas brasileiras.

Não fique para trás nesse momento, um programa de compliance pode até garantir a sobrevivência de sua empresa. Não deixe o momento passar!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *